ISVs e Agilidade – O case Synchro

Um dos fenomenos interessantes que tenho visto atualmente no mercado é a adoção de práticas ágeis, principalmente o Scrum, por empresas ISV de pequeno e médio porte. Já relatei alguns cases aqui como a Crivo, a YMF e a Summus. A algum tempo atrás a gente chamava os ISVs de “pacoteiros”, ou melhor, vendedores de pacotes.

Antes de mais nada digo a todos vocês que é muito bom trabalhar em ISVs. É um dos melhores ambientes para aprender sobre desenvolvimento de software, pois quando você está fazendo um produto para o mercado você utiliza quase 100% das práticas de desenvolvimento de software. Geralmente quando você trabalha para uma empresa, fazendo software sob medida, muitas coisas sobre análise de negócios, alinhamento com o mercado, concorrentes, design customizável, manuais de usuário, estrutura de distribuição e pós-venda não são problemas para você, mas para um ISV isso é o dia-a-dia do negócio. Fazer um produto para o mercado e ganhar dinheiro com isso é um desafio interessante.

[photopress:synchro.png,full,alignleft]A Synchro é um ISV 100% nacional que vende software para a área fiscal há 17 anos. Seus produtos atendem apuração fiscal, SPED, NF-e, CIAP e muitos outros. Eles estão presentes em São Paulo, Campinas, Curitiba e Rio de Janeiro.

No mês de janeiro a equipe da Synchro participou de uma das nossas turmas do curso Scrum da Aspercom, onde muita, mas muita conversa e discussões rolaram! No mesmo mês eles começaram sua adoção do Scrum no gerenciamento do projeto e também estão adotando outras práticas ágeis no seu processo de engenharia. Eles estão correndo bem a maratona da adoção Agile.

A adoção de práticas ágeis (como o Scrum) são decisivas para o sucesso dos ISVs. Nestes ambientes de alta competitividade qualquer ganho de market-share é importante, principalmente nesses momentos de crise. Os principais diferenciais que podem aumentar as vendas, reduzir custos e ajudar a esmagar a concorrência são alcançados com a colaboração, o foco, a transparência e a simplicidade das metodologias ágeis.

Ainda falando sobre as discussões correntes sobre o Papel do Product Owner, é interessante ver que em nesses cases citados, o Product Owner é uma pessoa de negócio, financiador (e geralmente está saindo dinheiro do bolso dele) e muito envolvido. Alguns deles tem conhecimento técnico. São orientados ao ROI da forma que o Scrum prega.

About The Author

rodrigoy

Instrutor e Consultor Sênior - ASPERCOM

Deixe sua opinião!

Leave A Response

* Denotes Required Field