Workshop Extreme Programming (XP) [BETA]

Antes de mais nada, deixa eu explicar: a Aspercom foi a primeira empresa a possuir o próprio curso Scrum aqui no Brasil, já treinamos mais de 100 equipes e temos experiência com consultoria e coaching em implementações Agile.

Ainda explicando, nosso curso Scrum é focado em pilares importantes da Agilidade que vemos o mercado tendo muita dificuldade em aplicar: auto-organização, uma voz forte do cliente e planejamento progressivo. Porém, para ter planejamento progressivo e direcionado a resultados (ROI) é lógico que você precisa de boas práticas de engenharia. Um fato: no nosso treinamento Scrum, sempre que falamos sobre um Backlog orientado a ROI, automaticamente vemos uma grande – e bem grande – interrogação arquitetural na cara dos nossos alunos e isso também acontece no curso UML e OOAD.

Nós explicamos sobre design incremental em ambos os treinamentos e os alunos até compreendem, mas nós não estamos satisfeitos, pois não é suficientemente prático da maneira que nós gostamos. Para realmente conhecer sobre design incremental, você precisa FAZER design incremental, EM CÓDIGO. A gestão covarde é um anti-pattern constante nas minhas andanças pelas empresas do Brasil, e me retratando aqui, não só os gerentes são covardes. As equipes desenvolvem paradigmas próprios pela simples falta de conhecimento ou exposição exagerada ao desenvolvimento em cascata.

Uma das maiores críticas ao Scrum é a falta das práticas de engenharia. OK, isso não é escopo do Scrum, mas é esperado que nas suas retrospectivas você busque melhores arquiteturas, melhores designs, melhores práticas de teste e etc… A melhoria contínua do processo é a chave do Scrum, e se você está usando Scrum de verdade, você deve se aproximar das boas práticas de engenharia do Extreme Programming.

Para acelerar esse objetivo natural nas equipes, a Aspercom está lançando um treinamento focado nas práticas de engenharia do Extreme Programming. Esse curso Extreme Programming é fruto da nossa observação em diversas empresas e mostra na prática como é o dia-a-dia de uma equipe ágil (seriam aquelas 7:45hs do dia do Scrum, onde vocês não estão fazendo a reunião diária).

[photopress:xp_small.jpg,full,pp_image]

Os desafios de fazer um Curso Extreme Programming

Fazer um treinamento prático de XP para o público aberto é um desafio! Isso porque num treinamento XP precisa ter programação. Desenvolvimento de software é programação e não só planejamento. É lógico que no treinamento da Aspercom vocês vão PROGRAMAR, assim, o público alvo do curso são programadores (nós não vamos ensinar você a construir algorítmos nesse curso). O desafio é que nós temos muitas arquiteturas, plataformas e linguagens diferentes, e fica difícil juntar interessados de uma forma que seja possível haver programação dada a diversidade dos ambientes (se você tiver um phpista, um javeiro, um dotNeteiro e um Railer numa equipe não há programação, mas sim uma disputa entre eles sobre qual é o melhor…) 🙂

Nós resolvemos essa questão fazendo a inscrição do curso por equipe de 4 membros. Você vai se inscrever junto com mais 3 pessoas para formar uma equipe. Assim como o Workshop Scrum, o treinamento toma um dia inteiro. Além disso, no curso Extreme Programming sua equipe DEVE cumprir uma atividade prática antes do dia do treinamento. Essa atividade basicamente é eleger uma arquitetura WEB e implementar duas histórias. Essa preparação de ambiente antes do treinamento é importante para que o dia do Workshop seja mais produtivo. Um ponto importante é que a própria equipe deve trazer seus dois notebooks (e somente dois!) para o dia do Workshop já com este ambiente preparado.

O dia do Workshop é um hand-on prático como o treinamento Scrum. Serão cinco a seis iterações de uma hora recheadas de pairing e programação. A cada iteração o instrutor (eu) apresentará alguns conceitos teóricos do XP e após isso temos a iteração de 1 hora para implementar histórias num projeto real e didático. Uma experiência real com o XP. A programação toda será em par, onde o aluno aprenderá de maneira muito prática o design incremental e o desenvolvimento orientado a testes (as histórias são liberadas gradativamente e não todas de uma vez, isso força o design incremental e refatorações).

Este curso é altamente recomendado para pessoas que já conhecem XP, que já leram os livros, mas nunca tiveram uma experiência prática real num projeto. Posso afirmar com absoluta certeza que com a prática você terá uma visão muito enriquecedora sobre a teoria.

Como anunciei no meu Twitter, teremos uma turma BETA deste treinamento no dia 29 de agosto, sábado, em São Paulo (Av. Paulista, 807). SOMENTE para essa turma BETA o preço será R$ 85,00 por pessoa (R$ 340 por equipe). Para se inscrever você precisa juntar a sua equipe com 4 membros e 2 notebooks, ter uma arquitetura (Java, .NET, PHP, Rails ou outra) e implementar a atividade inicial já citada. Turmas limitadas a 5 equipes.

Inscrições/Informações: contato@aspercom.com.br.

Uma informação importante é que este treinamento já foi ministrado em empresas (como o TJRO, já postado aqui no Débito Técnico). Chamamos essa primeira turma de BETA, pois é a primeira vez que estamos tentando fazer isso em turmas abertas ao público.

Mais novidades sobre este treinamento em breve aqui no Débito Técnico. Se você tiver mais dúvidas poste aqui como comentário que nós podemos te ajudar e até melhorar nosso produto.

About The Author

rodrigoy

Instrutor e Consultor Sênior - ASPERCOM

Deixe sua opinião!

Leave A Response

* Denotes Required Field