Um exemplo a ser seguido

Motivado pelo post do Guilherme Chapiewski (cara, como é difícil decorar este sobrenome) decidí escrever sobre mais uma adoção de Agile, especificamente de Scrum.

Imagine uma empresa que desenvolve software. Imagine ela com uma equipe de mais de 200 desenvolvedores. Nessa empresa TODOS os funcionários são CLT, com benefícios e com horário de trabalho das 8:30 às 17:30. Imagine agora que além disso a tecnologia utilizada é de ponta. Não bastando, as equipes têm liberdade, a administração é colaborativa e realmente as pessoas são valorizadas. Os projetos estão sendo guiados pelos valores ágeis, utilizando Scrum e com a participação do cliente. Além disso, o escritório é bonito, confortável, cheio de Kanbans nas paredes e máquinas Italian Coffee sempre a disposição.

Não, eu não estou falando dessa vez de Google, Microsoft, ThoughtWorks e outras. Eu estou falando do Venturus aqui mesmo no Brasil. O Venturus é um Centro de Inovação Tecnológica que desenvolve software para os setores de Telecomunicação fixa e móvel, atendendo principalmente a Sony Ericsson. Nesse mês de maio tive o prazer de treinar 120 pessoas do Venturus com o nosso curso Scrum em Campinas e confesso que foi uma das melhores empresas que ministrei até hoje.

[photopress:venturus.jpg,full,alignright] Desenvolver aplicações web e desktop pode ser complicado, porém, desenvolver novas aplicações e protótipos para celulares pode ser mais emocionante ainda. O crescimento forte deste setor está gerando uma grande corrida por mais e mais aplicações que rodam numa infinidade de aparelhos e conversam com um mundo de acessórios variados. Este tipo de ambiente requer uma maior maturidade pois um bug em produção nesse tipo de desenvolvimento é caríssimo.

O Venturus é uma empresa que adotou Agilidade partindo dos clientes e dos próprios colaboradores numa iniciativa conjunta e com grande suporte do corpo executivo. É mais um case de adoção “Enterprise Scrum”. A iniciativa do desenvolvimento infectou até as rotinas administrativas (que também pude auxiliá-los). Atualmente eles estão trabalhando num ciclo de 2 semanas em equipes de tamanho variado. O Scrum está em adoção desde Novembro de 2007. Como ferramenta eles adotaram o ScrumWorks.

A história do Venturus não podia ser diferente do que o Guilherme falou no post dele. Antes da Agilidade o que existia eram Gantt Charts nunca cumpridos, maiores “controles” operacionais e um processo cascata tentando ser previsível. O simples fato de tornar o processo iterativo-incremental já mostrou resultados positivos nos primeiros Sprints. Com as outras práticas do Scrum de inspeção e adaptação boas rotinas de trabalho estão emergindo das equipes e o processo segue em melhoria contínua.

Minha visão sobre um treinamento Scrum…

O treinamento Scrum da Aspercom é um Workshop de 8 horas. Nós montamos um treinamento mais curto, mais prático, mais direcionado e principalmente mais barato exatamente para acontecer o que aconteceu no Venturus. Um treinamento para TODA a equipe. Dificilmente as empresas possuem verba para pagar um treinamento caro para 120 pessoas. Nossa visão sobre um treinamento Scrum eficiente é que toda a equipe deve ser treinada e não somente o ScrumMaster. Quem está querendo adotar o Scrum sabe que cada papel do Scrum tem responsabilidade com relação ao gerenciamento do Projeto. No Scrum, não existe gerente de projeto. ScrumMaster não é Gerente de Projeto.

Um padrão que considero maléfico para a adoção do Scrum é uma empresa pegar seus Gerentes de Projeto tradicionais e treiná-los como ScrumMasters para que a implantação do Scrum ocorra. É difícil um GP tradicional se tornar um ScrumMaster logo de cara. Os valores são completamente diferentes! Tudo isso que falo aqui seria assunto para um outro artigo no blog (PMPs, esperem esse novo artigo antes de atirar as pedras).

De qualquer forma, nós da Aspercom estamos vendo que essa estratégia de treinar TODA a equipe no Scrum está dando certo para todos os nossos clientes corporativos. O convencimento deve ser geral. É comum quando estou ministrando que a equipe técnica tenha dúvidas das práticas de engenharia (que geralmente são do XP e não do Scrum). Os Product Owners querem ser desgraçados gananciosos. Essas respostas devem ser dadas e não vejo que um GP tradicional treinado para ser ScrumMaster possa dá-las de imediato. É comum que uma dúvida técnica básica da equipe possa comprometer a adoção do Scrum.

O pessoal do Venturus tiveram um treinamento diferenciado. Eu não precisei convencer eles a usar o Scrum, pois eles já estavam vivenciando as práticas. O treinamento foi mais focado em Concepção Ágil, utilização de Stories, Design Emergente e principalmente Estimativas e Métricas Ágeis. Ao final, 70% dos alunos avaliaram o treinamento como Excelente e 29% avaliaram como Bom. A Equipe Aspercom agradece!

About The Author

rodrigoy

Instrutor e Consultor Sênior - ASPERCOM

Deixe sua opinião!

6 Comments

  • Muito legal! Ah, e Chapiewski eh com “i” 🙂

  • Mário Silvestre Jr.

    Reply Reply 29/05/2008

    Boa dia Rodrigo,

    estava trabalhando na IBM em Hortolândia e em busca de novos desafios, começarei no Venturus na proxima segunda-feira dia 02/06.
    Muito animador o artigo! Tenho certeza agora que fiz a escolha certa… Espero que nos encontremos em futuros treinamentos.

    Parabens!

    Mário

  • Rodrigo Yoshima

    Reply Reply 29/05/2008

    Vixe… nem no Copy n’ Paste eu sou bom… corrigido!

  • alexandre

    Reply Reply 27/01/2010

    interessante o post. trabalho numa empresa com 80 desenvolvedores e estamos usando scrum com bastante sucesso. Agora a tendencia é isso contaminar outros setores.

Leave A Response

* Denotes Required Field